Atividade física, nutrição, farmacoterapia; a obesidade e seus tratamentos: uma revisão da literatura

André Pinto Lemos de Faria

Abstract


O interesse principal desta revisão é avaliar as estratégias e métodos farmacológicos ou não para
o tratamento da obesidade e sobrepeso. A obesidade é, hoje, umas das principais doenças da vida
moderna; tendências de transição nutricional ocorridas neste século direcionam para uma dieta mais
ocidentalizada, a qual, aliada à diminuição progressiva da atividade física, converge para o aumento
no número de casos de obesidade em todo o mundo. Isto representa aumento na morbidade e na
mortalidade associadas à obesidade, já que esta é fator de risco para várias doenças. Como uma
DCNT (doença crônica não transmissível) a IHME (Institute for Health Metrics and Evaluation) atribui
3,4 milhões de mortes e uma prevalência de 37% da população mundial adulta com obesidade e
sobrepeso de 1980 – 2013. A obesidade apresenta-se não apenas como problema científico e de saúde
pública, mas também como grande desafio à indústria, envolvendo o desenvolvimento de fármacos,
de alimentos modificados entre outros e, ainda, estratégias governamentais estimulando a prática
regular de atividade física e a orientação alimentar, a fim de promover melhorias dos hábitos salutares.
Assim, a avaliação de recursos e estratégias preventivas da obesidade são objetos de estudos de
pesquisadores de inúmeros centros.

Keywords


obesidade, sobrepeso, atividade física, nutrição, dieta, perda de peso

Full Text:

PDF

References


BLUMENKRANTZ, M. Obesity: the world’s metabolic

disorder [online]. Beverly Hills, 1997. [citado em 28/8/97].

Available from WWW:

com,obesity.htm >.

WHO WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity fact

sheet from WHO providing key facts and information on

causes, health consequences, double burden of disease,

prevention. Available from WWW:

who.int/entity/mediacentre/factsheets/fs311/en/

MONTEIRO, C.A., MONDINI, L., SOUZA, A.L.M.,

POPKIN, B.M. Da desnutrição para a obesidade: a

transição nutricional no Brasil. In: MONTEIRO, C.A.

Velhos e novos males da saúde no Brasil: a evolução do

país e de suas doenças. São Paulo: Hucitec, 1995. p.247-

JEBB, S.A. Aetiology of obesity. British Medical Bulletin,

London, v.53, n.2, p.264-285, 1997.

WHO WORLD HEALTH ORGANIZATION. Diet, nutrition

and the prevention of chronic diseases. Geneva, 1990.

p.69-73. (Technical Report Series, 797).

BORGES, C.B.N, BORGES, M.R, SANTOS J.E.

Tratamento clínico da obesidade. Simpósio Distúrbios

Respiratórios do Sono. Medicina Ribeirão Preto 39 (2):

– 252, abr./jun. 2006

TARDIDO, A.P.; FALCÃO, M.C. O impacto da

modernização na transição nutricional e obesidade. Rev

Bras Nutr Clin 2006; 21(2):117-24

MCMURRAY R.G., HACKNEY A.C. Interactions of

metabolic hormones, adipose tissue and exercise. Sports

Med. 2005;35(5):393-412.

MATSUDO, V.K.R. e MATSUDO, S.M.M. Atividade física

no tratamento da Obesidade; einstein. 2006; Supl 1:

S29-S43

GUEDES, D.P. Programa de controle de peso corporal:

Atividade física e nutrição; R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v.

, n. 1, p. 64 - 90, 2002

BARLOW, C. E. et al. Physical fitness, mortality and

obesity. International Journal of Obesity, v. 19, Suppl 4, p.

S41-S44, 1995.

BERALDO, F. C., VAZ, I.N.F, NAVES, M.M.V. Nutricão,

atividade física e obesidade em adultos: Aspectos atuais

e recomendações para prevenção e tratamento. Rev Med

Minas Gerais 2004;14(1):57-62

CATERSON I.D. Overweight and obesity. In: Mann J,

Truswell AS, eds. Essentials of human nutrition. 2nd ed.

Oxford: Oxford University Press; 2002.p.273-87.

SABIA, R.V., SANTOS, J.R., RIBEIRO R. P. P. Efeito

da atividade física associada a orientação alimentar em

adolescentes obesos: comparação entre o exercício

aeróbio e anaeróbio. Rev Bras Med Esporte _ Vol. 10, Nº

– Set/Out, 2004

SCUSSOLIN, T.R. e NAVARRO A.C.; Musculação uma

alternativa valida no tratamento da obesidade. Revista

Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento,

São Paulo v.1, n. 6, p. 74-83, Nov/Dez. 2007. ISSN

-9919

DENADAI, R.C., et al. Efeitos do exercício moderado e

da orientação nutricional sobre a composição corporal de

adolescentes obesos avaliados por densitometria óssea

(DEXA). Rev. paul. Educ. Fís., São Paulo, 12(2): 210-18,

jul./dez. 1998

FRANCISCHI, R.P. et al. Exercício, comportamento

alimentar e obesidade: revisão dos efeitos sobre a

composição corporal e parâmetros metabólicos. Rev.

paul. Educ. Fís., São Paulo, 15(2): 117-40, jul./dez. 2001

FERNANDES, A.C., MELLO M.T., TUFIK S., CASTRO,

P. M., FISBERG, M. Influência do treinamento aeróbio e

anaeróbio na massa de gordura corporal de adolescentes

obesos. Rev Bras Med Esporte _ Vol. 10, Nº 3 – Mai/Jun,

CIOLAC, E.G., GUIMARÃES, V. G. Exercício físico e

síndrome metabólica. Rev Bras Med Esporte _ Vol. 10,

Nº 4 – Jul/Ago, 2004

TROMBETTA, I. C. Exercício físico e dieta hipocalórica

para o paciente obeso: vantagens e desvantagens. Rev

Bras Hipertens vol 10(2): abril/junho de 2003.

JUZWIAK C.R., PASCHOAL, V. C. P., LOPEZ, F. A.

Nutrição e atividade física. J. pediatr. (Rio J.). 2000; 76

(Supl.3): S349-S358

MANCINI, C.M., HALPERN, A. Tratamento farmacológico

da obesidade. Arq Bras Endocrinol Metab 2002;46/5:497-

PAUMGARTTEN, F.J.R. Tratamento farmacológico da

obesidade: a perspectiva da saúde pública. Cad. Saúde

Pública, Rio de Janeiro, 27(3):404-405, mar, 2011




DOI: http://dx.doi.org/10.22565/ijn.v10i3.307

Refbacks

  • There are currently no refbacks.